A gestão operacional de um sistema de transporte público coletivo de passageiros se desenvolve através de uma série de atividades de planejamento e programação, fiscalização e controle, ou seja, todas as atividades que visam regulamentar e controlar o transporte dos passageiros com qualidade.

Cada vez mais, os gestores de transporte público precisam planejar e programar um serviço racional e compatível com a demanda e o nível de serviço aceitável, além de garantir que os operadores cumpram estes serviços, controlando os custos e as remunerações do sistema.

Os sistemas de transporte, por suas características, envolvem uma grande quantidade e variedade de informações necessárias ao processo de gestão, principalmente a sua característica de ocorrência espacialmente descentralizada, dificulta atividades como o controle dos serviços e conhecimento real da oferta e demanda. Desta forma, todos dados disponíveis ou de obtenção mais simples são extremamente valiosos, devem ser organizados e utilizados da melhor forma.

As vantagens do uso da tecnologia da informação são justamente a capacidade de processamento preciso e eficiente de grandes quantidades de dados, através do cruzamento dos mais variados dados disponíveis de maneira automática, o que seria difícil, ou mesmo praticamente impossível, de se realizar manualmente.

O sistema AutoBus foi criado utilizando os recursos mais avançados da tecnologia da geoinformação com o objetivo de facilidade de operação, flexibilidade, e fácil integração com outros sistemas.


O sistema destaca-se pelas características:

● Modular

● Configurável, através de opções e preferências que facilitam a operação

● Telas e comandos inteligentes exigindo o mínimo de ações dos usuários

● Bases de dados com datas de referência das informações, permitindo armazenar dados históricos

● Produção de resultados sintéticos, através de indicadores operacionais já consagrados em transporte público

● Informações georreferenciadas permitem análises geográficas

● Controle de acesso de usuários, através de senhas e níveis de usuários

● Opera em ambiente Web sobre plataforma Windows Server e banco de dados Microsoft SQL Server

Os módulos existentes do sistema são:

● Cadastro e Programação Operacional

● Informações aos Usuários

● Gestão de Frota

● Fiscalização e Controle

● Transporte Especial


O módulo de cadastro é destinado ao registro, manutenção e consulta de dados básicos sobre o sistema de transportes. Estes dados compreendem os seguintes grupos: Dados Gerais, Infraestrutura, Empresas e Linhas. Os dados gerais constituem-se de uma série de tabelas básicas de classificação e outros parâmetros utilizados como referência pelos demais itens cadastrados. Estão entre eles:

● Tipos de dias de operação (sábado, domingos, dias, úteis, etc.)

● Tipos de linhas (radiais, circulares, alimentadoras, troncais, etc.)

● Tipos de veículos (convencional, padron, articulado, etc.)

● Modelos de veículos

● Períodos operacionais do dia

● Calendário operacional (datas de feriados ou programações especiais)

● Custos

A infraestrutura de transporte público é definida com os seguintes grupos de dados:

● Zonas e Bairros

● Vias (rede viária)

● Terminais

● Pontos de parada

● Postos de fiscalização

Os dados das empresas operadoras, basicamente, compreendem:

● Empresas operadoras

● Garagens

● Veículos

As linhas são as entidades principais do sistema, sendo definidas por:

● Linhas (atributos básicos)

● Dados operacionais básicos (tempo de percursos, extensão, frota, etc.)

● Itinerário

● Pontos de parada atendidos

● Programação de partidas

Postos de fiscalização das linhas; Vinculação veículo x linha; Além de permitir o cadastro, são possíveis consultas cruzadas do tipo linhas que passam por determinado logradouro. Além disso, uma série de relatórios fornece dados como: totais de linhas e veículos em operação, extensão total e média do sistema, espaçamento médio entre pontos de parada, idade média da frota, quilometragem média mensal programada, entre outros. Também, é possível a impressão de tabelas de todos os dados cadastrados.



O Itinerario é relacionado a partir do mapa da linha, de forma automática.




O AutoBus mantém o histórico de alterações das programações das linhas, possibilitando reaproveitamento de itinerários, tabelas de horários e outras informações.





Para gestão da frota, o AutoBus permite:

● Padrões veiculares e suas características

● Cadastro de veículos vinculados ao sistema

● Histórico de movimentação de frota

● Cadastro de operadores (motoristas, cobradores, etc.)

Para apoio à fiscalização, o sistema conta com funções para:

● Controle de apólices de seguro

● Inspeções veiculares periódicas, incluindo mecânica e de poluentes

● Fiscalizações e apreensões



O módulo de custos e tarifas do AutoBus permite calcular tarifas e custos através de parâmetros, índices e custos unitários, seguindo a metodologia básica definida pela ABNT. São considerados custos fixos e variáveis, depreciação e remuneração de capital investido, despesas gerais e consumo de combustíveis, rodagem, etc., além de dados de passageiros transportados. São gerados relatórios detalhados de cálculo.

O AutoBus – Programação da Oferta efetua o dimensionamento de linhas de ônibus de maneira rápida e fácil. A partir de dados de pesquisas que definem o perfil temporal da demanda, acrescido de parâmetros de caracterização da demanda, nível de serviço e características operacionais desejadas, obtém-se a frota necessária à operação, além de programação de horários.

O sistema tem integração opcional com os módulos de “Cadastro” e “Fiscalização e Controle” do sistema AutoBus, possibilitando a utilização de dados cadastrais da linha, bem como dados de demanda obtidos do controle operacional. Os dados de demanda podem vir de pesquisas, processadas pelo módulo AutoBus – Pesquisas.




● Opcionalmente pode-se utilizar a demanda estimada por período, possibilitando o dimensionamento para novas linhas ou quando não existem pesquisas de terminal disponíveis

● Índices de demanda não catracada, para considerar demanda não manifesta por existência de terminais de integração ou evasão de demanda

● Índices de renovação que indicam o perfil espacial da demanda

Para o dimensionamento, os seguintes parâmetros podem ainda ser definidos:

● Definição dos períodos típicos de operação (definidos manualmente ou por intervalos fixos)

● Características para o dimensionamento por período, como índice de renovação (flutuação espacial da demanda), índice de demanda não catracada (levando-se em conta a evasão de passageiros)

● Nível de serviço por período, definido pela ocupação de projeto (densidade em pass./m2) e pelo intervalo máximo entre partidas

● Tempos de viagem, obtidos das pesquisas de demanda ou definidos exogenamente por período

● Definição do tipo de veículo (em termos de capacidade de assentos e área útil para passageiros em pé)

● Duração máxima de jornada dos veículos

● Horário de operação a ser programado, definindo-se o horário inicial (primeira viagem) e final da linha, e opção de forçar ou não as viagens para o início de cada período

● Intervalo máximo entre partidas, que define o nível de serviço mínimo para a linha

● Tempos de parada nos terminais, podendo ser constantes ou por período e sentido

● Opção de programar viagens de retorno (vazias), definindo-se os tempos constantes ou por período para cada sentido da linha

A demanda final utilizada no dimensionamento é automaticamente ajustada pelo sistema, a partir de dados das pesquisas, índices de demanda não catracada, índice de expansão da demanda e índice de renovação para cada período.

Os resultados obtidos compreendem:

● Resumo da programação com quantidade de viagens, frota necessária, tempos médios de percurso, intervalo máximo obtido, total de horas de operação, HVD, Km e custo total, demanda/dia, IPK, índice médio de renovação e lotação máxima prevista

● Resultados por período típico, incluindo total de passageiros, fluxo médio de passageiros por hora, viagens e intervalo programado

● Quadro de partidas (tabela horária de viagens) programadas, identificando carro a ser utilizado

Todos estes resultados podem ser facilmente consultados em tela, impressos em relatórios ou ainda exportados para formato dBase (DBF) acessível a aplicativos como Excel e Access.


Este módulo opera em ambiente de Intranet ou Internet podendo ser acessado pelo próprio usuário ou através de atendimento telefônico.

Para os usuários do Serviço de Transporte Público, o sistema de atendimento deverá prover os seguintes tipos de informações:

● Informações gerais da linha: nome, empresa operadora, terminais, horário de operação, tarifa, dias de operação, e existência de atendimentos especiais

● Itinerário da linha, alertando, caso haja previsão de alteração próxima de itinerário

● Horários de partida, alertando, caso haja previsão de mudança de horários nos próximos dias

● Mapa de determinada linha

● Qual(is) linha(s) atende(m) determinada região ou endereço

● Qual(is) linha(s) utilizar para se deslocar entre dois endereços fornecidos (origem e destino), informando: deslocamentos a pé necessários na origem e destino (distância e estimativa de tempo), linhas necessárias, e respectivos pontos de embarque e desembarque, tarifas, distância e estimativa de tempo de viagem

● Tarifas, bilhetes, validade e descontos



OUTRAS SOLUÇÕES